Citrulinemia Clássica - Perturbações do Ciclo da Ureia

A Citrulinemia tipo I é uma desordem hereditária que faz com que a amónia e outras substâncias tóxicas que se acumulam no sangue. Esta condição, também conhecida como Citrulinemia Tipo I, pertence a uma classe de doenças genéticas chamado perturbações do ciclo da ureia.

Na maioria dos casos, a condição torna-se evidente nos primeiros dias de vida. Contudo, tem uma prevalência até ao momento desconhecida. Sabe-se que tem uma hereditariedade autossómica recessiva e a idade de início é a infância.

Crianças afetadas, geralmente parecem normais no nascimento, mas com a acumulação de amónia no organismo, estas começam a manifestar uma falta progressiva de energia (letargia), má alimentação, vómitos, convulsões e perda de consciência.

A Citrulinemia tipo I apresenta diversas formas da patologia:

  • Forma aguda neonatal
  • Forma mais branda de início tardio que se pode desenvolver mais tarde na infância ou na idade adulta (menos comum)
  • Forma sem sintomas e ou hiperamonemia
  • Forma em que as mulheres têm aparecimento dos sintomas graves durante a gravidez ou pós-parto.

Causas

A Citrulinemia tipo I é causada por mutações no gene ASS1. Este gene fornece instruções para fazer uma enzima sintetase, argininosuccinato 1, que é responsável para a terceira etapa do ciclo da ureia. As mutações neste gene provocam uma redução da actividade da enzima, o que perturba o ciclo da ureia e impede o organismo de processamento de azoto de forma eficaz.

O excesso de azoto (na forma de hidróxido de amónio), e outros produtos derivados do ciclo de ureia acumulam-se na corrente sanguínea. A amónia é particularmente tóxica para o sistema nervoso, provocando os principais sintomas neurológicos.

Sinais e Sintomas

  • Má alimentação
  • Vómitos
  • Convulsões
  • Ataxia
  • Perda de consciência
  • Letargia
  • Problemas com equilíbrio
  • Cefaleias
  • Fala arrastada
  • Problemas de comportamento.

Diagnóstico

O diagnóstico estabelece-se através da medicação dos níveis de aminoácidos no sangue e na urina, o nível de citrulina estará elevado no sangue, enquanto o nível de arginina estará baixo. Na urina, verifica-se um nível elevado de ácido orótico. Estudos enzimáticos podem ser utéis no estabelecimento definitivo do diagnóstico.

Tratamento

O tratamento passa por uma dieta pobre em proteínas, com suplementos de arginina. É importante que os pacientes com citrulinemia fiquem longos períodos sem ingerir alimentos. O medicamento fenilbutirato de sódio pode ser utilizado, assim como a administração por via endovenosa de glicose e fluídos, em associação com outros medicamentos, no caso de um episódio sintomático agudo, para facilitar a eliminação de substâncias tóxicas do organismo.

Fontes:
Partilhe este artigo
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...

0 comments

 
RSS ArtigosRSS ComentáriosVoltar ao topo
© 2012 As Doenças Raras ∙ Template por BlogThietKe