Dentinogénese Imperfeita - Osteogénese Imperfeita - Dentes Opalescentes sem Osteogénese Imperfeita

A Dentinogénese Imperfeita é um defeito hereditário raro da dentina caracterizado pela estrutura da dentina anormal resultando em desenvolvimento dentário anormal. Estes problemas podem afetar tanto os dentes de leite como os dentes permanentes. Os sinais da doença são variáveis ​​e não há sobreposição significativa entre os diferentes tipos de Displasia da Dentina e Dentinogénese Imperfeita.

É também conhecida por Osteogénese Imperfeita ou Dentes Opalescentes sem Osteogénese Imperfeita. Tem uma prevalência até ao momento desconhecida mas estima-se como sendo de 1/ 6.000 a 8.000 nascimentos. Tem uma hereditariedade autossómica dominante. A idade de início é a infância. Na maioria dos casos, a pessoa afectada tem um pai com a condição.

Os pesquisadores descreveram três tipos de Dentinogénese imperfeita com anomalias dentárias semelhantes:

  • O Tipo I ocorre em pessoas que têm osteogénese imperfeita, uma doença genética em que os ossos são frágeis e facilmente quebráveis.
  • A Dentinogénese imperfeita tipo II e tipo III geralmente ocorrem em pessoas sem outras doenças hereditárias. Algumas famílias com tipo II têm perda auditiva progressiva, além de anormalidades dentárias.
  • O Tipo III foi identificado pela primeira vez em uma população de Brandywine, Maryland. Os investigadores acreditam que alguns fizeram Dentinogénese Imperfeita tipo II e Tipo III, juntamente com uma condição semelhante chamada Displasia Dentária Tipo II, sendo na verdade, formas de uma única doença.

Causas

Esta patologia é causada por mutações sem sentido e de sentido trocado no gene DSPP (4q21.3) que codificam a proteína principal envolvida na formação da dentina. O gene DSPP fornece instruções para a produção de proteínas que são essenciais para o desenvolvimento normal dos dentes. Estas proteínas estão envolvidas na formação da dentina, que é uma substância semelhante ao osso e que compõe a camada do meio de protecção de cada dente. As mutações alteram a proteína produzida a partir do gene, conduzindo à produção de dentina anormalmente suave.

Sinais e Sintomas

  • Dentes descolorados e translúcidos (na maioria das vezes uma cor azul-cinzento ou castanho-amarelado)
  • Dentes são mais fracos do que o normal, tornando-os propensos a desgaste rápido, quebra e perda.
  • Coroas bulbosas com constrição cervical
  • Raízes dentárias curtas
  • Câmaras pulpares obliteradas com canais radiculares.

Diagnóstico

O baseia-se essencialmente nos achados clínicos e é confirmado por testes genéticos.

Tratamento

Os objetivos do tratamento são eliminar as fontes de infecção ou dor, restabelecer a estética e proteger os dentes posteriores de desgaste. O tratamento varia conforme a idade do paciente, a gravidade do problema e as queixas do mesmo.

Colocação de coroas, jaquetas ou outras formas de assistência odontológica são os tratamentos mais comummente usados. Dentaduras ou implantes dentários podem ser necessárias quando a maioria dos dentes são perdidos.

Fontes:


Partilhe este artigo
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...

0 comments

 
RSS ArtigosRSS ComentáriosVoltar ao topo
© 2012 As Doenças Raras ∙ Template por BlogThietKe