Doença Neurodegenerativa - Síndromes Raras, Definição, Prevalência, Hereditariedade, Fisiopatologia, Causas, Sinais e Sintomas, Diagnóstico, Tratamento, Prevenção - Doenças Raras Mentais - Psicológicas - Psiquiátricas - Cerebrais - Foro Neurológico

A Doença Neurodegenerativa é um termo genérico que distingue as patologias e os problemas que afetam principalmente os neurónios cerebrais. Prevê-se que até 2040 este tipo de doença ultrapasse o cancro como 2ª causa de morte mais frequente entre idosos.

Os neurónios são os blocos de construção do sistema nervoso, que inclui o cérebro e medula espinal. São células altamente especializadas na transmissão de informações, na forma de impulsos nervosos. Eles não se reproduzem nem podem ser reparados quando lesados, por isso, quando danificados ou morrem, não podem ser substituídos.O neurónio é considerado a unidade básica da estrutura do cérebro e do sistema nervoso, havendo cerca de 86 milhões.

Nestas doenças ocorre uma destruição progressiva e irreversível dos neurónios, que são os responsáveis pelas funções do Sistema Nervoso. O Sistema Nervoso tem como funções principais monitorizar e coordenar a atividade dos músculos, a movimentação dos órgãos, a construção e a finalização dos estímulos captados pelos sentidos e o iniciar de uma qualquer ação. Os neurónios e os nervos são parte integrante deste sistema, desempenhando uma função extremamente importante na coordenação motora.

Trata-se de doenças incuráveis ​​e debilitantes, dependendo do tipo de doença, o paciente gradualmente vai perdendo as suas funções motoras, fisiológicas e cognitivas. São caracterizadas pela cronicidade, progressão e perda seletiva e simétrica de neurónios nos respetivos sistemas motor, sensório e ou cognitivo. Isso provoca uma série de problemas como as ataxias (problemas com o movimento) e alterações mentais como as demências. Os pacientes vão se tornando dependente de outros, muitas vezes ficam completamente dependentes na satisfação das mais simples atividades de vida.

Como exemplo das doenças neurodegenerativas mais conhecidas tem-se a doença de Parkinson, a doença de Alzheimer, a doença de Huntington, a Esclerose Lateral Amiotrófica, a doença do Neurónio Motor, a Ataxia Espinocerebelar e a Atrofia Muscular Espinal. Cerca de 60-70% dos casos em pacientes com doença de Alzheimer ficam com algum tipo de demência sendo este o principal problema da doença.

Dependendo da região cerebral afetada origina-se um tipo de doença específico:

  • Córtex Cerebral: doença de Alzheimer, doença de Pick, doença de Corpúsculos de Lewy.
  • Gânglios Basais: doença de Huntington, doença de Parkinson.
  • Tronco Cerebral e Cerebelo: Ataxias Espinocerebelares, Ataxia de Friedreich, Atrofia Dentropalidorubrolusiana, Atrofia de múltiplos sistemas.
  • Sistema Motor: Esclerose Lateral Amiotrofica, Atrofia Muscular Espinal, Atrofia Bulbar Espinhal, Paraparésia Espástica Familiar.

Tratamento

O tratamento é orientado normalmente pela especialidade específica deste tipo de doenças, neste caso a Neurologia, mas dependendo da doença em causa e dos problemas que ela possa provocar podem ser úteis um especialista em Psiquiatria e Psicologia.
Para alguns dos casos existem fármacos que inibem ou retardam a destruição dos neurónios afetados.
A fisioterapia pode ser útil e até mesmo adiar o avanço das doenças que afetem as funções motoras. A fisioterapia neurofuncional é de grande importância nestes casos.
A Fonoaudiologia é também de grande importância nos tratamentos destas doenças, através da fonoterapia é possível manter, ou até mesmo restituir funções perdidas como a coordenação pneumo-fono-articulatórios, a deglutição e a linguagem.

Partilhe este artigo
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...

0 comments

 
RSS ArtigosRSS ComentáriosVoltar ao topo
© 2012 As Doenças Raras ∙ Template por BlogThietKe