Síndrome Cardio Facio Cutânea

A Síndrome Cárdio-fácio-cutânea é uma doença genética caraterizada por anomalias congénitas múltiplas e atraso mental. Estes indivíduos têm atraso no desenvolvimento e deficiência intelectual, geralmente variando de moderada a grave. Afeta várias partes do organismo, principalmente o coração, a face, a pele e o cabelo.

Estima-se que a sua prevalência seja menor que 1/1.000.000 nascimentos. Tem uma hereditariedade autossómica dominante. O aparecimento ocorre geralmente durante a idade neonatal ou a infância.

Causas

Esta doença é causada por mutações no gene BRAF, MAP2K1, ou MAP2K2 genes. É uma doença autossómica dominante, mas todos os casos notificados resultaram de mutações de novos genes e ocorreram em pessoas sem histórico da doença na família.

Sinais e Sintomas

  • Atraso psicomotor
  • Hipotonia muscular
  • Problemas de alimentação
  • Baixa estatura
  • Macrocefalia relativa
  • Face típica
  • Anormalidades ectodérmicas (cabelo raro e encaracolado, ausência de sobrancelhas)
  • Defeitos cardíacos congénitos (principalmente estenose pulmonar, comunicação interauricular e cardiomiopatia hipertrófica).

Diagnóstico Diferencial

O diagnóstico diferencial deve ser efetuado com Síndrome de Noonan e Costello. Os sinais e sintomas desta síndrome são semelhantes com os de estas duas condições genéticas. As três patologias são distinguidas pela sua causa genética e padrões específicos de sinais e sintomas, no entanto, pode ser difícil distingui-las durante a infância.

Tratamento

Não existe uma cura efetiva. O tratamento é apenas sintomático, visando a educação especial e ocupacional, terapia da fala e cuidados da pele apropriados. Problemas de alimentação podem exigir a alimentação por sonda ou mesmo gastrostomia. Defeitos cardíacos podem exigir correção cirúrgica.

Fontes:
Partilhe este artigo
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...

0 comments

 
RSS ArtigosRSS ComentáriosVoltar ao topo
© 2012 As Doenças Raras ∙ Template por BlogThietKe