Atrofia Olivo-Ponto-Cerebelosa - Síndromes Raras, Definição, Prevalência, Hereditariedade, Fisiopatologia, Causas, Sinais e Sintomas, Diagnóstico, Tratamento, Prevenção - Doenças Raras Mentais - Psicológicas - Psiquiátricas - Cerebrais - Foro Neurológico - Doenças Raras Mentais - Psicológicas - Psiquiátricas - Cerebrais - Foro Neurológico - Herança Esporádica - Herança Variável - As Doenças Raras
Miguel Torres

Atrofia Olivo-Ponto-Cerebelosa - Síndromes Raras, Definição, Prevalência, Hereditariedade, Fisiopatologia, Causas, Sinais e Sintomas, Diagnóstico, Tratamento, Prevenção - Doenças Raras Mentais - Psicológicas - Psiquiátricas - Cerebrais - Foro Neurológico - Doenças Raras Mentais - Psicológicas - Psiquiátricas - Cerebrais - Foro Neurológico - Herança Esporádica - Herança Variável

Tipo de Patologia:

  • É uma doença neurodegenerativa hereditária progressiva.
  • É caracterizada por alterações de algumas estruturas cerebrais, com aumento de tamanho nas estruturas afetadas que agrava com a evolução da patologia.
  • Existe também a forma esporádica da doença.

Sinais e Sintomas:

  • Ataxia (descoordenação dos movimentos que provoca uma tal instabilidade na locomoção, que pode impedir o indivíduo de caminhar)
  • Problemas de equilíbrio
  • Problemas de fala
  • Movimentos oculares anormais
  • Problemas do intestino
  • Problemas da bexiga
  • Dificuldade na deglutição
  • Espasmos musculares
  • Rigidez muscular
  • Dor neuropática
  • Problemas com a função sexual
  • Tremores
  • Pneumonia de aspiração

Tratamento:

  • Fisioterapia com adjuvante de locomoção e prevenção de quedas
  • Sintomático para controlar principais sintomas
  • Técnica para prevenir asfixia

Outras Considerações:

  • É mais comum em indivíduos do sexo masculino do que o feminino.
  • Surge em média por volta dos 55 anos de idade.
  • O prognóstico é severo.
  • A doença avança lentamente mas não tem cura, tornando-se o portador progressivamente dependente nas atividades de vida normal.