Cisticercose - Neurocisticercose - Síndromes Raras, Definição, Prevalência, Hereditariedade, Fisiopatologia, Causas, Sinais e Sintomas, Diagnóstico, Tratamento, Prevenção - Doenças Raras Mentais - Psicológicas - Psiquiátricas - Cerebrais - Foro Neurológico - Doença Rara Causada por Parasitas - Parasitárias - Transmissível - Contagiosa - Epidémica - As Doenças Raras
Miguel Torres

Cisticercose - Neurocisticercose - Síndromes Raras, Definição, Prevalência, Hereditariedade, Fisiopatologia, Causas, Sinais e Sintomas, Diagnóstico, Tratamento, Prevenção - Doenças Raras Mentais - Psicológicas - Psiquiátricas - Cerebrais - Foro Neurológico - Doença Rara Causada por Parasitas - Parasitárias - Transmissível - Contagiosa - Epidémica

A Cisticercose é uma doença parasitária adquirida através da ingestão de alimentos contaminados com ovos de Taenia solium e Taenia saginata. Os sintomas podem acontecer meses ou até mesmo anos após a ingestão de tais alimentos. Pode-se suspeitar de Neurocisticercose em casos de epilepsia tardia (indivíduos com mais de doze anos, especialmente em países latinoamericanos). Os fatores de risco incluem o consumo da carne de porco crua ou mal passada, frutas e verduras contaminadas com o parasita, contato com pessoas infectadas ou material fecal.

Sinais e Sintomas

  • Cefaleias frequentes
  • Convulsões
  • Problemas de visão
  • Cegueira
  • Problemas mentais
  • Vómitos
  • Dor abdominal
  • Anorexia
  • Infecções na coluna
  • Demência
  • Perda da consciência
  • Insuficiência cardíaca
  • Ritmo cardíaco anormal
  • Convulsões
  • Aumento da pressão intracerebral
  • Morte.
A maioria das pessoas com cisticercose nos músculos não apresenta sintomas.

Diagnóstico

O diagnóstico nem sempre é fácil de obter, podendo ser necessário a realização de vários tipos de testes para identificar as lesões, como: radiografias, tomografias computadorizadas, exame do líquido cefalorraquidiano, provas sorológicas e biópsia da área afetada.

Tratamento

No tratamento são utilizados fármacos antiparasitários muitas vezes combinados com anti-inflamatórios. Em alguns casos, é necessário extirpar a área infectada através de um procedimento cirúrgico. Nem todos os casos desta patologia podem ser tratados, isso acontece quando existem lesões cardíacas, dano cerebral ou cegueira.

Prevenção

Medidas preventivas:
  • Lavar as mãos frequentemente, mas principalmente após defecar e antes de manipular alimentos
  • Beber água mineral ou fervida
  • Lavar e retirar a casca das frutas antes de consumi-las
  • Evitar alimentos que possam estar contaminados com fezes.
 Fontes: